Blog


Farmacinha caseira parte II

No último artigo começamos a falar sobre a farmacinha caseira (veja farmacinha caseira parte I), hoje daremos continuidade a esse assunto.

Comecemos falando de algo importante: devemos sempre deixar separados os remédio dos adultos dos das crianças, isso pode evitar a troca acidental dos mesmos, muito medicamentos vem nas duas formas com mesmo princípio ativo e embalagens parecidas, e diferença principal é a proporção do princípio ativo que para adultos é maior do que para crianças o que o torna muito perigos se administrado acidentalmente em uma criança. Portanto é válida essa separação.

Outra dica importante e sempre que possível manter na embalagem as recomendações dada pelo médico com relação à dosagem e número de doses por dia.

Tenha sempre seringas dosadoras, copinhos dosadores, a famosa colher de medida para preparação do soro caseiro no caso de diarreia.
 

Escreva na embalagem e no frasco, a validade dos medicamentos de forma que você veja facilmente. Em alguns medicamentos esta informação é de edifício acesso e pode se apagar com o tempo e uso do medicamento.

Alguns itens importantes para quem tem criança ou bebê em casa:

Pomada contra queimadura e assaduras;

Pomadas antialérgicas para picadas de insetos não peçonhentos como formigas e pernilongo.

Pomadas para pequenas pancadas e contusões, muito comuns em crianças, crianças com menos de 2 anos não podem fazer uso de medicamentos com cânfora, portanto fique atento;

Repelente infantil;

Protetor solar infantil;

Álcool 70% para o umbigo do recém-nascido;

Termômetro;

Solução nasal à base de cloreto de sódio e sem conservantes;

E todos os itens que citamos no artigo anterior (veja aqui) com apresentação infantil e pediátrica.

Você pode guardar o xarope para tosse que sobrou para fazer uso novamente, mas é preciso atenção em alguns detalhes, existem 3 tipos de xaropes, e são: os expectorantes, cujo a função e expectorar o catarro; o para tosse seca, que combate aquela tosse de origem alergia e enfim os xaropes com essa dupla função. É muito importante a indicação médica, pois se você tratar a tosse com o tipo de xarope errado, o quadro pode se agravar.

Para os anti-inflamatórios, você também pode guardar o que sobrou, mas também é muito importante a prescrição médica, já que nos facilmente podemos confundir um quadro infeccioso com uma um quadro inflamatório, principalmente quando ocorre na garganta e ouvido.

A mesma regra de prescrição médica se enquadra em medicamentos anti-histamínicos, e broncos dilatadores.


Mas em hipótese alguma guarde o antibiótico que sobrou principalmente se for em solução oral, após aberto ele tem uma validade de no máximo 10 dias. Veja nosso artigo (Você sabe como usar antibióticos?).


E por fim, sempre que você tiver medicamentos para serem descartados seja por qual for o motivo, não o jogue no lixo comum, leve-o a uma
DrogaPOP, nós daremos o destino apropriado a esse medicamento. (encontre a mais próxima, clique aqui).

 



Criação: Central Click Marketing Digital